Montado pelo Grupo Tece, da Oficina de Atores de Santos, Ubu Rei traz o misto de paródia e sátira. O espetáculo teatral reflete a baixeza da sociedade por meio dos olhos deturpados do protagonista, um monarca cruel, ganancioso e covarde, que reina de maneira totalitária. Sessão dupla neste domingo (1º), às 15h e 18h, no Teatro Guarany (Praça dos Andradas, 100, Centro Histórico). Os ingressos custam R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia-entrada).

Pai Ubu toma o trono ao assassinar o rei Venceslau da Polônia, passa a matar a população para continuar no poder e se envolve em uma guerra contra a Rússia. Igualmente sórdida e vil, sua esposa, Mãe Ubu, busca roubar o tesouro da Polônia, mas enfrenta a resistência do príncipe herdeiro, que lidera a revolta popular.

Para esta adaptação, a direção do grupo santista optou por linguagem que divirta o público, com efeitos sonoros e a apresentação da patafísica – a ciência das soluções imaginárias -, que terá como intuito operar de modo cômico a desconstrução do real e a reconstrução do absurdo, para apontar a eterna repetição do poder na história do mundo.

Escrita pelo dramaturgo e romancista francês Alfred Jarry em 1896, quando tinha 23 anos de idade, a peça foi recebida com vaias. O reconhecimento veio mais tarde, quando o texto tragicômico serviu de inspiração para movimentos da dramaturgia moderna, como o surrealismo, o dadaísmo e o teatro do absurdo.