O muro da unidade municipal Padre Leonardo Nunes, no bairro Areia Branca, ganhou cara nova neste domingo (7) com a ação dos artistas que participaram do 1º Encontro Graffiti da Zona Noroeste. O evento, que reuniu 19 grafiteiros da região e de outras cidades do estado de São Paulo, foi organizado pela Catts Arte Urbana, com o apoio do projeto Luann Vive e da Prefeitura de Santos, por meio da Secretaria de Educação (Seduc).

“A diretora da unidade me procurou e propus fazermos esta arte no muro externo da escola. Para isso, convidei diversos artistas e cada um pôde se expressar de acordo com a sua linguagem. Eu acho importante ações como estas, em que a comunidade coloca a mão na massa e faz acontecer”, disse Carlos Roberto da Silva, que assina seus desenhos com o nome Catts e foi o organizador da atividade.

A diretora da unidade, Rosa Cristina Agapito Galvão, não escondeu a felicidade de ver a escola transformada. “Estou apaixonada por esta ação. Ficou muito bonito. Quero sempre oferecer o melhor para os alunos e todo o nosso esforço é por eles, para recebê-los bem”. Todas as tintas utilizadas foram adquiridas com dinheiro da escola e a preparação do muro para receber as artes foi feita pelos profissionais da Seduc. Juntos os artistas pintaram 450 m² de muro com cores e desenhos diferentes, fazendo com que a parte externa da unidade se tornasse um dos maiores murais grafitados de Santos.

Comunidade na escola – A Leonardo Nunes também recebeu neste sábado (6) e domingo (7) o mutirão do projeto Comunidade na Escola, da Seduc. Funcionários da secretaria fizeram a pintura do corredor de acesso às salas de aula e as revisões elétrica e hidráulica.

Durante a semana ainda farão a pintura do muro interno com cal e manutenção de algumas salas. Alguns funcionários da escola passaram o final de semana colaborando com os trabalhos de forma voluntária. “Gosto de ajudar. É muito gratificante fazer parte disso”, contou Lucimar Ferreira da Veiga, 52.

De acordo com o responsável pelo projeto Luann Vive, Paulo Oshiro, a ação de transformar equipamentos públicos teve início no ano passado e sempre tem a participação de membros da comunidade para colaborar. “Desta vez, contamos também com a ação conjunta dos artistas que fizeram a grafitagem”.