Mostra internacional circula em diferentes cidades do interior do estado e Litoral. Em Santos serão 10 filmes exibidos a partir do dia 03/12. Tendências, temáticas, narrativas e estéticas e clássicos do cinema restaurados. Acompanhe a Programação. Ingressos: R$ 12,00 (inteira) R$ 6,00 (meia). Grátis (Credencial Plena)

exibição

De encontro com a vida

Saliya ficou parcialmente cego quando adolescente. Apesar disso, não desistiu do seu sonho de trabalhar em um hotel de luxo. Sem contar a ninguém que mal vê, o rapaz consegue um estágio no hotel mais conceituado de Munique. No entanto, quando Saliya se apaixona por Laura, seu plano, cuidadosamente elaborado, começa a desmoronar.
Direção: Marc Rothemund
Roteiro: Oliver Ziegenbalg, Ruth Toma
Fotografia: Bernhard Jasper
Montagem: Charles Ladmiral
Elenco: Kostja Ullman, Jacob Matschenz, Anna Maria Mühe, Johann von Bulow, Nilam Farooq
Produtor: Tanja Ziegler, Yoko Higuchi Zitzmann
Produção: Ziegler Cinema
Auditório | Não recomendado para menores de 10
03/12. Domingo, às 11h

Visages, Villages

Agnès Varda e JR têm coisas em comum: sua paixão por imagens e, mais particularmente, o questionamento sobre os lugares onde elas são mostradas e a maneira como são compartilhadas e expostas. Agnès escolheu o cinema. JR escolheu criar galerias fotográficas ao ar livre. Quando os dois se conheceram, em 2015, imediatamente quiseram trabalhar juntos ¿fazer um filme na França, longe das cidades. Em encontros aleatórios ou planos pré-concebidos, eles partem em direção a outras pessoas e as convidam a segui-los em sua viagem no caminhão fotográfico de JR.
Vencedor do Olho de Ouro de melhor documentário no Festival de Cannes.Visages, Villages | França | 2017 | Cor | 89 min | Documentário | 10 anos| direção e roteiro: Agnès Varda e JR fotografia Roberto De Angelis, Claire Duguet, Julia Fabry, Nicolas Guicheteau, Romain Le Bonniec, Raphaël Minnesota, Valentin Vignet montagem Agnès Varda, Maxime Pozzi Garcia música Matthieu Chedid produtor Rosalie Varda produção Ciné-Tamaris, Social Animals, Rouge International, Arches Films, Arte France Cinéma distribuição Fênix
Auditório| Não recomendado para menores de 10
R$ 12,00. R$ 6,00 (uuu). Grátis (ttt).
03/12. Domingo, às 16h

Mulheres Divinas

Nora é uma jovem dona de casa que mora em uma pequena cidade com o marido e os dois filhos. O interior da Suíça permanece à parte dos grandes movimentos sociais surgidos em 1968. A vida de Nora tampouco é afetada; ela é uma pessoa pacata, de quem todos gostam. Até começar a lutar publicamente pelo direito ao voto feminino, que os homens devem decidir nas urnas no dia 7 de fevereiro de 1971.
Petra Volpe Nasceu em Suhr, Suíça, em 1970. Estudou artes em Zurique e dramaturgia e roteiro na Escola Konrad Wolf em Potsdam. Fez diversos curtas-metragens e filmes para a televisão. Estreou no cinema com Dreamland (2013). Mulheres Divinas é seu segundo longa.
Auditório| Não recomendado para menores de 14
R$ 12,00. R$ 6,00 (uuu). Grátis (ttt).
05/12. Terça, às 19h

O amante de um dia

Essa é a história de um pai, sua filha de 23 anos – que volta para casa depois de terminar um relacionamento – e sua nova namorada, que também tem 23 anos e vive com ele.
Philippe Garrel n asceu na França em 1948. Diretor, ator, fotógrafo e roteirista, ele faz filmes que geralmente se relacionam à juventude rebelde dos anos 60, à qual ele pertenceu. Fez seu primeiro curta, Les Enfants Désaccordés, em 1964. Recebeu o prêmio Jean-Vigo por L’Enfant Secret (1979) em 1982. Foi premiado no Festival de Veneza com o Leão de Prata de melhor diretor duas vezes, por Já Não Ouço a Guitarra (1991) e Amantes Constantes (2005), pelo qual também recebeu o prêmio Louis-Delluc. Dirigiu ainda, entre outros, A Fronteira Da Alvorada (2008) e Aprendiz De Alfaiate (2010), ambos exibidos na Mostra.
L’amant d’un Jour | França | 2017 | PB | 76 min | Ficção | 14 anos|Direção: Philippe Garrel | roteiro Philippe Garrel, Jean-Claude Carrière, Caroline Deruas, Arlette Langmann|Fotografia Renato Berta |Montagem François Gédigier |Música Jean-Louis Aubert| Elenco: Eric Caravaca, Esther Garrel, Louise Chevillotte produtor Saïd Ben Saïd, Michel Merkt| Produção: SBS Films |Distribuição: Fênix
Auditório|Não recomendado para menores de 14
R$ 12,00. R$ 6,00 (uuu). Grátis (ttt).
06/12. Quarta, às 19h
 

24 Frames

“Um dia, quando eu não tinha nada para fazer, comprei uma Yashica barata e saí pela natureza. Eu queria estar em contato com ela. Ao mesmo tempo, desejava compartilhar com os outros momentos agradáveis que testemunhei. É por isso que comecei a tirar fotografias. Para, de alguma maneira, eternizar esses momentos de paixão e dor…”  Abbas Kiarostami.
Abbas Kiarostami , nasceu no Irã em 1940. Cursou a Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Teerã. Estreou como roteirista e diretor em 1970 com o curta The Bread and Alley, realizando seu primeiro longa, The Traveller, quatro anos depois. Ganhou reconhecimento internacional com Onde Fica a Casa do Meu Amigo? (1987). Participou da Mostra com todos os seus filmes desde então, entre eles Close Up (1990); Através das Oliveiras (1994), Prêmio da Crítica da 18ª Mostra; Gosto de Cereja (1997), vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes, e Dez (2002). Em 2004, ganhou uma retrospectiva completa de sua obra na 28ª Mostra, incluindo o lançamento de um livro com fotos e textos de sua autoria. Morreu em 2016 aos 76 anos.
Irã, França | Cor e PB | 2016 |Ficção | 120 min | Livre direção e roteiro Abbas Kiarostami, produtor Ahmad Kiarostami, Charles Gillibert produção CG Cinéma.
Auditório|Livre
07/12. Quinta, às 15h

O dia depois

É o primeiro dia de trabalho de Areum em uma pequena editora. Bongwan, seu chefe, terminou recentemente o relacionamento que mantinha com a funcionária que trabalhou ali anteriormente. Hoje também, Bongwan, que é casado, sai de casa na manhã ainda escura e parte para o trabalho. Naquele dia, sua esposa encontra um bilhete de amor, explode no escritório e acaba confundindo Areum com a mulher que ele deixou.
Hong Sang-soo nasceu em Seul, Coreia do Sul, em 1960. Em 1996, lançou seu primeiro longa-metragem, O Dia em que o Porco Caiu no Poço, vencedor do Tigre de melhor filme no Festival de Roterdã. Também dirigiu, entre outros, A Virgem Desnudada por Seus Celibatários (2000), A Mulher É o Futuro do Homem (2004), Conto de Cinema (2005, 38ª Mostra), Hahaha (2010), vencedor da seção Um Certo Olhar do Festival de Cannes, O Dia em que Ele Chegar (2011, 35ª Mostra), A Visitante Francesa (2012), Filha de Ninguém (2013) e Certo Agora, Errado Antes (2015), ganhador do Leopardo de Ouro no Festival de Locarno.
O DIA DEPOIS|Geu-Hu | Coreia do Sul | 2017 | PB |  92 min | Ficção | 12 anos
direção e roteiro Hong Sang-soo| fotografia: Kim Hyungkoo montagem Hahm Sungwon| Elenco: Kwon Haehyo, Kim Minhee, Kim Saebyuk, Cho Yunhee, Ki Jubong| Produção: Jeonwonsa Film Co. | Distribuição: Pandora
Auditório| Não recomendado para menores de 12
07/12. Quinta, às 19h
 

O Jovem Karl Marx

Aos 26 anos, Karl Marx embarca com a mulher, Jenny, para o exílio. Em Paris, eles conhecem Friedrich Engels, filho do dono de uma fábrica que estudou o nascimento do proletariado inglês. Engels traz a Marx a peça que faltava para o quebra-cabeça de sua visão de mundo. Juntos, em meio à censura, greves e agitação política, eles vão liderar uma completa transformação política e social do mundo.
Le Jeune Karl Marx | França, Alemanha, Bélgica | 2017 | Cor | 118 min | Ficção | 12 anos| Direção: Raoul Peck R oteiro: Pascal Bonitzer, Raoul Peck| Fotografia: Kolja Brandt| Montagem: Frédérique Broos| Música: Alexei Aigui| Elenco: August Diehl, Stefan Konarske, Vicky Krieps, Hannah Steele, Olivier Gourmet| Produtor: Nicolas Blanc, Rémi Grellety, Robert Guédiguian, Raoul Peck| Produção: AGAT Films, Velvet Film| Distribuição: California Filmes
Raoul Peck nasceu no Haiti em 1953. Cresceu no Congo, nos EUA e na França, e estudou na Alemanha. Em 1993, seu longa The Man by the Shore foi o primeiro filme caribenho selecionado para a competição do Festival de Cannes. Entre 1996 e 1997, foi Ministro da Cultura do Haiti. Desde 2010, é presidente do conselho da escola de cinema La Fémis, de Paris. Seu filme anterior, o documentário Eu Não Sou Seu Negro (2016), venceu o prêmio do público nos festivais de Berlim e de Toronto.
Auditório| Não recomendado para menores de 12
08/12. Sexta, das 19h às 22h

The Square

Christian é o respeitado curador de um museu de arte contemporânea, um pai divorciado, mas dedicado, que dirige um carro elétrico e apoia boas causas. Sua próxima exposição é The Square, uma instalação que convida os transeuntes ao altruísmo, lembrando-os de seu papel como seres humanos responsáveis. Mas às vezes é difícil viver de acordo com seus próprios ideais: a resposta tola de Christian pelo roubo de seu telefone o leva a situações vergonhosas. Enquanto isso, uma agência de relações públicas criou uma inesperada campanha para promover The Square. A reação é exagerada e conduz Christian, assim como o museu, a uma crise existencial.
Vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes.THE SQUARE The Square | Suécia, Alemanha, França, Dinamarca | 2017 | Cor | 142 min |Ficção |14 anos| direção e roteiro: Ruben Östlund |fotografia Fredrik Wenzel | montagem Ruben Östlund, Jacob Secher Schulsinger |elenco: Claes Bang, Elisabeth Moss, Dominic West, Terry Notary, Christopher Laessø produtores Erik Hemmendorff, Philippe Bober produção Plattform Produktion, Essential Films, Parisienne distribuição Pandora
Ruben Östlund  Nasceu em Styrsö, Suécia, em 1974. Estreou na direção de longas-metragens com The Guitar Mongoloid (2004). Seu curta Incident by the Bank (2009) é vencedor do Urso de Ouro da categoria no Festival de Berlim. Östlund também é diretor dos longas Sem Querer (2008, 32ª Mostra), Play (2011) e Força Maior (2014, 38ª Mostra), ganhador do Prêmio do Júri da seção Un Certain Regard no Festival de Cannes.
Auditório| Não recomendado para menores de 14
09/12. Sábado, às 16h
 

O Motorista de Táxi

Um taxista de Seul é contratado por um jornalista estrangeiro para levá-lo até a cidade de Gwangju. Ao chegar lá, eles se deparam com o lugar tomado pelo governo militar e com os cidadãos, liderados por um grupo de estudantes, reivindicando liberdade. O que começa com uma simples corrida de táxi se torna uma luta pela sobrevivência em meio à Revolta de Gwangju, evento real que aconteceu na Coreia do Sul em maio de 1980.
Direção JANG HOON | Coreia do Sul | 2017 | Cor | 137 min | Ficção.
Auditório| Não recomendado para menores de 16
10/12. Domingo, às 16h
 

Uma espécie de família

Malena é uma médica de classe-média em Buenos Aires. Certa tarde ela recebe uma ligação do Dr. Costas dizendo que ela deve ir imediatamente para o norte do país: o bebê que ela estava esperando está prestes a nascer. De repente e sem pensar, Malena decide partir em uma viagem incerta, cheia de encruzilhadas, nas quais ela precisa lidar com obstáculos legais e morais. Ela se pergunta constantemente até que ponto está preparada para conseguir o que mais quer
Vencedor do Prêmio do Júri de melhor roteiro no Festival de San Sebastián.
Una Especie de Familia | Argentina, Brasil, Polônia, França | 2017 | Cor | 96 min | Ficção | 14 anos| direção:  Diego Lerman  roteiro Diego Lerman, María Meira fotografia Wojtek Staron montagem Alejandro Brodersohn música José Villalobos elenco Bárbara Lennie, Daniel Araoz, Claudio Tolcachir, Yanina Ávila produtor Nicolas Avruj, Diego Lerman produção Campo Cine, Bossa Nova, Bellota Films, Staron Film, 27 Films, Act 3, Snowglobe, MG, Telefé distribuição Pandora.
Diego Lerman  Nasceu em Buenos Aires em 1976. Estudou som e design na Universidade de Buenos Aires e teatro na Escola Municipal de Artes Performáticas. Em 2002, dirigiu, escreveu e produziu seu primeiro longa-metragem, Tan De Repente (2002). Dirigiu depois os longas Mientras Tanto (2006), O Olho Invisível (2010, 34ª Mostra) e Refugiado (2014).
Auditório| Não recomendado para menores de 14
10/12. Domingo, às 11h

Local: Sesc Santos.: Rua: Conselheiro Ribas, 136 – Aparecida. Tel: 3278-9800